Como potenciar a inovação em si e na sua empresa

Como potenciar a inovação em si e na sua empresa

Segundo Jeff Dyer, existem cinco comportamentos que potenciam inovações revolucionárias, nomeadamente através do questionar, observar, do networking, experimentar e do exemplo.

Jeff Dyer refere que os fundadores da Paypal perguntavam-se como poderiam ser dinheiro para as outras pessoas e que foi a partir de esse questionarem-se que criaram a Paypal.

Já no caso da Starbucks, foi através da observação. O seu fundador, numa viagem a Itália, ao frequentar cafés em todo aquele ambiente romântico, ao voltar aos EUA decidiu implementar esse conceito no país.

Já Mike Lazaridis, fundador da Research in Motion, criadora do Blackberry, foi ao comentar com um colega como é que seria possível que uma máquina de chocolate quente comunicasse remotamente ao fornecedor que precisava de ser reabastecida, o que deu origem a outra ideia, a de existir um aparelho que permitisse enviar remotamente mensagens a outra pessoas.

Michael Dell criou a Dell através de outro comportamento, o de experimentar. Foi ao desmontar e montar computadores que descobriu como fazê-los com menos 30% do custo da IBM.Outro exemplo vem de Steve Jobs através do exemplo, em que tendo tipo aulas de tipografia, aplica o conhecimento que adquiriu ao criar os tipos de letra para o Apple.

 Dyer diz-nos que através destes comportamentos, aliados à associação, geram inovação.

Jeff Dyer, ao ser questionado sobre como podemos potenciar as nossas capacidades para sermos inovadores através da experiência, diz-nos que o podemos fazer de três modos:
  • Desmontar e montar;
    Podemos acompanhar processos de criação de produto e assim conseguir ver como melhorar o processo.
  • Testar;
    Testar a ideia/produto no mercado e ver como este reage e aprender com isso.
  • Explorar.
    Visitar países e empresas diferentes e estudar áreas diferentes das que dominamos.
E como encorajar as equipas a inovar quando já estão muito ocupadas? Jeff Dyer diz-nos que será trabalho extra mas que qualquer empresa que não faça nada de novo no máximo em 10 anos estará ultrapassada. Assim sugere:
  • Criar uma cultura que encoraje as pessoas a questionarem.
  • Criar processos e dar-lhes tempo para serem observadores, seja com clientes ou com outras empresas.
    Dyer refere o caso da Google que destaca mensalmente um conjunto de colaboradores para apenas irem ver como se fazem as coisas e como as outras empresas o fazem e trazerem essas ideias.
  • Fomentar o networking.
    Dar tempo aos colaboradores e oportunidades para irem a conferências, trazer pessoas para almoçar durante a semana e estes falarem às equipas sobre diferentes saberes que poderão ser uma base para inovar e para terem uma outra perspetiva sobre as coisas.
  • Fazer experiências.
    Tentar deixar de ter medo de errar e aprender antes com isso.

jeff-dyerJeffrey Dyer é professor de Estratégia na Marriott School, BYU, onde é diretor do Departamento de Liderança Organizacional e Estratégia. Antes de integrar a BYU, foi professor na Wharton School da Universidade da Pensilvânia, onde continua como professor adjunto e leciona nos programas para executivos.  Foi ainda previamente consultor na Bain & Company, onde teve como clientes, entre ouros, a Baxter International, Kraft, Maryland National Bank, Kraft e First National Stores. Jeffrey Dyer é o único investigador de estratégia a ter publicado cinco vezes no Strategic Management Journal (publicação académica líder em estratégia) e na Harvard Business Review. Este foi reconhecido pelo Essential Science Indicators como o 17º investigador mais citado entre 1996-2006 quando se combinam gestão, finanças, marketing, operações e economia, e o 4º nos académicos de gestão mais citados. As suas investigações foram já premiadas por diversas vezes, como pela Academy of Management, Institute of Management Science, Strategic Management Society e McKinsey & Company. O seu livro “Collaborative Advantage”.