O que acontece ao cérebro – e capacidade de liderar – quando perde o enfoque

O que acontece ao cérebro – e capacidade de liderar – quando perde o enfoque

As solicitações constantes levam-nos, cada vez mais, à desconcentração e a perdermos o raciocínio. Mas há como não perder o enfoque. Seguem-se seis formas de levar o nosso cérebro de volta à tão desejada concentração de que precisamos para tomar decisões.

Stephanie Vozza   

Já lhe aconteceu estar no meio de uma conversa, por exemplo, durante o almoço, e perder por completo o fio à meada assim que o telemóvel toca? Um estudo recente explica o que acontece com o seu cérebro e leva a este tipo de desconcentração e esquecimento.

Os neurocientistas americanos Adam Aron (Universidade da Califórnia) e Jan Wessel (Universidade de Iowa) descobriram que o núcleo subtalâmico (STN) – o sistema responsável por interromper ou parar o movimento no nosso corpo, também interrompe a cognição. Numa pesquisa anterior Adam Aron identificou que o STN é ativado quando se faz uma paragem abrupta na ação devido a um evento inesperado. “Uma paragem que nos leva a ter uma espécie de choque no corpo inteiro dá-se quando, por exemplo, estamos prestes a sair do elevador e damos com outra pessoa parada mesmo em frente, do outro lado da porta”, referem os investigadores.

Este estudo, publicado na revista Nature Communications, conclui que um evento inesperado também parece “limpar” o que se estava a pensar. Esta função do cérebro desempenhava um papel crucial quando os seres humanos eram confrontados com o perigo e precisavam de uma resposta de luta ou fuga; mas hoje tem consequências negativas. “E é o que nos acontece o dia todo”, afirma Adam Aron. “Estamos concentrados no escritório, e as coisas “apitam”. E distraímo-nos, mas é o nosso dia a dia. Infelizmente, há uma grande dificuldade no que diz respeito a concentrarmo-nos, e é cada vez pior”. No entanto, e embora a reação seja fisiológica, podemos trabalhar no sentido de fortalecermos o nosso enfoque para que as distrações menores não levem a paragens no que estamos a pensar. Seguem-se seis medidas que nos ajudam a manter o foco.
 

1 - Fazer meditação
Tal como exercitar treina os nossos músculos, também a meditação treina a nossa atenção, o que nos permite permanecer concentrados por longos períodos de tempo. E quando surgem as distrações o cérebro é forte o suficiente para as deixar passar.
Um estudo da Universidade Emory, nos EUA, conclui que 20 minutos de meditação diária estão associados a mudanças de atividade e conectividade na região do cérebro que controla a atenção, o que permite não ligar a distrações. 

2 - Reduzir o “zumbido” dos aparelhos
Adote uma abordagem proativa na configuração do seu espaço de trabalho, sugere Nelly Dixon, membro do corpo docente do departamento de Análise Comportamental Aplicada na Universidade de Kaplan, EUA. “Organizar o ambiente para limitar os estímulos que distraem pode ser muito útil”, diz a professora. E acrescenta: “desligue os dispositivos sonoros para eliminar a distração e os telefonemas sem importância. Desative ainda as notificações no seu computador sobre quando alguém comenta a sua página no Facebook”.

3 - Fechar a porta
“As interrupções no local de trabalho podem levar as pessoas a demorarem até 27% mais tempo a completar uma tarefa, a cometerem cerca do dobro dos erros, e a sentirem até duas vezes mais ansiedade”, declara A. J. Marsden, professora assistente de Serviços Humanos e Psicologia na americana Beacon College. Ajude a reduzir o número de vezes que alguém pára na sua secretária ao fechar a porta da sua sala. Se não tem escritório use uns fones, que podem assinalar aos seus colegas que não está disponível.

4 - Fazer vários pequenos intervalos
O desempenho começa a deteriorar-se após 50 a 60 minutos de trabalho contínuo. Mas pode inverter esta tendência ao fazer pausas a cada 40 minutos, afirma A. J. Marsden. “Fazer pausas ajuda a descomprimir e a relaxar o seu cérebro sobrecarregado”, explica a docente. “As pausas curtas permitem manter o foco numa tarefa sem perder a qualidade com o passar do tempo”.

5 - Esquecer o multi-tasking
O multi-tasking (multitarefas) pode enfraquecer a sua capacidade de se concentrar num projeto. “A nossa memória de curto prazo só pode armazenar entre cinco e nove coisas ao mesmo tempo, por isso é difícil para o cérebro processar dois fluxos de informação coincidentes ainda que separados e codificá-los na memória de curto prazo”, afirma A. J. Marsden. Realizar várias tarefas em simultâneo diminui a concentração em 20 a 40%, adianta. “A ativação do cérebro é diminuída em até 53% quando temos de executar tarefas duplas versus termos a possibilidade de dedicar a nossa atenção a apenas uma tarefa”.

6 - Livrar-se das distrações internas
A sensação incómoda de que temos algo para fazer pode causar estragos na capacidade de nos concentrarmos, afirma Nelly Dixon. A docente sugere a criação de uma lista de tarefas a realizar, priorizando-as, e completar as menos importantes antes de se dedicar a um projeto que exija um maior nível de foco e atenção. Tal “pode ajudar a reduzir aquela sensação persistente de que ainda temos de fazer algo mais”. 

21-06-2016

Fonte: Fast Company


StephanieVozzaStephanie Vozza escreve sobre negócios e produtividade. A empreendedora americana é autora do livro “The Five-Minute Mom’s Club: 105 Tips to Make a Mom’s Life Easier”, e fundadora da plataforma de comércio eletrónico TheOrganizedParent.com, que entretanto vendeu à FranklinCovey Products.