Rosa Parks: 5 Lições de quem fez a diferença nos direitos civis

Rosa Parks: 5 Lições de quem fez a diferença nos direitos civis

Fez 59 anos esta semana que Rosa Parks decidiu tomar uma atitude e recusar-se a ceder o lugar onde ia sentada a um branco. O que podemos aprender com Rosa Parks?


Foi a 1 de Dezembro de 1955 que Rosa Parks, costureira negra norte-americana, decidiu tomar uma atitude que a tornou num símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Este deu origem ao Boicote aos Autocarros de Montgomery e, posteriormente, viria a dar origem ao início da luta anti-segregacionista.

O então jovem pastor negro Martin Luther King Jr. , que apoiou esta atitude de Rosa Parks, passou a incentivar os negros a fazerem o mesmo nos seus sermões e… o resto da história é conhecida de todos nós.

Que lições poderemos hoje retirar das ações tomadas por Rosa Parks para o nosso negócio, carreira e ambiente de trabalho?

Matthew Tukaki, fundador da EntreHub.org  e do Sustain Group, membro do conselho de administração de diversas empresas à escala mundial, partilhou as cinco lições que aprendeu com Rosa Parks:

1. A determinação é a chave para alcançar o sucesso.
Quer na carreira, quer nos negócios terá sempre de acreditar que a grande mudança acontecerá, desde que se mantenha no seu caminho, que trabalhe arduamente e que continue a desenvolver-se e a desenvolver os que o rodeiam.


2. Seja perseverante.
Muitas pessoas desistirão quando o desafio se tornar muito duro ou quando acreditarem que não existe hipótese de serem promovidos. A chave é encontrar sempre o nível seguinte e perceber que esse nível poderá não estar em seguir o que é convencional – poderá ser necessário deixar o seu percurso ou emprego profissional atual e seguir para o nível seguinte. Pare e pense. O problema poderá não estar em si, mas no seu empregador atual.


3. Acabe com o convencional.
O motivo pelo qual muitas das coisas acabam por não acontecer ou por que nunca se alcança determinado objetivo, é porque tendemos a nos limitarmos a pensar de forma convencional. É ao fazer, que lutamos por compreender porque é que as coisas não estar a mudar. Alguns dos melhores empreendedores e empresários de todo o mundo são os que deitaram as cautelas ao vento e abraçaram um processo disruptivo na sua empresa ou inovaram a partir de ideias previamente existentes.

Rosa-Parks-Licoes-lideranca4. Quando alguém lhe diz que não, pergunte-lhe: porque não?
Ouvi muitos nãos ao longo da minha vida e, de cada vez que ouvia um, questionava a pessoa que mo tinha dito sobre o porquê desse não. Quando me candidatei pela primeira vez a um posto de trabalho, era então adolescente, e me disseram que não, perguntei ao empregado responsável pela contratação no que tinha falhado e o que poderia fazer para melhorar. O resultado foi que realmente consegui melhorar e deixei de ser descartado logo na primeira fase do recrutamento.

Pergunte sempre o porquê dos nãos que lhe são dirigidos e, se for caso disso, melhore, inove e adapte-se.


5. Nunca tema o falhanço.
Se há uma coisa que aprendi, é que o falhanço acontece. Só tem de sair dessa, aprender o que tem a aprender e seguir em frente. Ninguém nasce bem-sucedido, mas aprende com o falhanço, com a inovação, com as melhorias, as mudanças e a adaptação que faz às situações. Não há nada de errado com o facto de ser com o falhanço que aprende as lições que lhe estão a ser ensinadas.

“Aprendi ao longo dos anos que, quando alguém está verdadeiramente determinado, sente menos medo; saber o que tem de ser feito afasta o medo.”, disse Rosa Parks.

Com base nas lições que aprendeu com Rosa Parks, Tukaki aconselha todos os líderes e aspirantes a líderes a manterem-se no caminho, a quebrarem os convencionalismos e a aprenderem sempre com os seus falhanços.

E sabe que mais? Que nunca pense que está sozinho na luta que trava diariamente, pois, como disse Rosa Parks, “Independentemente de ser a minha vontade de ser livre, não estava sozinha. Havia muitos outros que sentiam o mesmo que eu.”

O que o prende? Do que deseja libertar-se?

Aproveite este final de ano para se inspirar em Rosa Parks e para também tomar uma atitude que o liberte dos grilhões que o prendem.

Quem sabe se não muda o mundo, ou pelo menos o seu.


Fonte: Linkedin; Wikipédia

 


fatinha-portal-artigo1Fátima Rodrigues foi gestora do Portal da Liderança e editora de conteúdos da Leadership Business Consulting, coordenadora editorial da área de business do grupo Almedina e lecionou na Congrégation Saint-Joseph de Cluny. Esteve ligada ao Conselho da Europa, onde exerceu funções de formadora do GERFEC em relações interculturais e interreligiosas em contexto corporativo e social. É fundadora e administradora geral do projeto online de fomento à leitura Segredo dos Livros.