Fernando Bessa: Nunca se é líder por se querer

Watch the video

Fernando Bessa: Nunca se é líder por se querer

O antigo country manager da Air France KLM Portugal afirma que a liderança “é resultado de uma coisa essencial, que é sermos nós próprios, porque aquilo que é falso cai muito mal e não serve para construir uma verdadeira relação, seja mais próxima ou mais afastada”. Além de que “para ser líder, a pessoa tem de acreditar em si. Somos todos condicionados pelo mundo à nossa volta, mas a pessoa tem de ser ela própria, não tem de imitar, deve aprender. Aprender não é imitar, é, quando muito, transformar ou criar conhecimento a partir do conhecimento dos outros”, diz Fernando Bessa.

O responsável pelo mercado português da multinacional de aviação até agosto de 2016 refere que “não faço reuniões, faço convenções. Normalmente tenho sempre muita gente. Não sou muito opinioso. Faço muitas perguntas – faço mais perguntas do que outra coisa”, aludindo à forma como promove o pensamento criativo e a inovação na organização. Acrescenta que, depois, “tenho de libertar, de facilitar o processo criativo das pessoas, tirando o valor de cada uma delas ao máximo que consiga. E muitas das vezes reconheço que não estou a pensar no tema, estou a pensar na dinâmica, porque não sou a pessoa mais criativa. Sinto que consigo fazer com que os outros possam ser criativos”.

Fernando Bessa assegura-se de que continua a crescer e a desenvolver-se enquanto líder fazendo “muitas coisas que não têm nada a ver com a aviação. É essencial estarmos abertos ao mundo à nossa volta. Leio tudo e nada. Vejo muitas notícias na internet, onde colho muitas das ideias que depois tento pôr em prática, ou de alguma forma lançar para a discussão com a minha equipa”. E “tento também aprender nos contactos com os meus clientes e os fornecedores”. Quanto a hábitos diários eficazes, “preciso de um certo momento de tranquilidade todas as manhãs para fazer soltar a minha energia ao longo do dia. Para mim é essencial ter um momento de calma para pensar o que pretendo fazer com este dia, o que é importante hoje”.


Como promove o pensamento criativo e a inovação na sua organização?


O que faz para garantir que continua a crescer e a desenvolver-se enquanto líder? 


Que conselho(s) daria a um funcionário que está a assumir uma posição de liderança pela primeira vez?


Descreva um momento em que a sua equipa não concordou consigo. Como se resolveu a questão?


Como a pessoa que menos gosta de si o descreveria?


Na escala de 1 a 10, quão realizado está? Porquê?


Qual é a importância de prémios como os Best Leader Awards?


Nota: Entrevista cedida no âmbito dos Best Leader Awards 2016.


25-05-2016


Armanda Alexandre/Portal da Liderança


Fernando Pinto Bessa foi country manager da Air France KLM Portugal entre outubro de 2006 e agosto de 2016. Mas pode dizer-se que o seu percurso na KLM foi um voo de longo curso, que descolou em janeiro de 1980, como key account manager, até dezembro de 1989, quando saíu por um período de oito meses para a agência de viagens Turismo Cruzeiro, para desempenhar funções de diretor de operações e de vendas. Em setembro do mesmo ano volta a “aterrar” na KLM, como sales manager, cargo que exerce até maio de 2000, altura em que ocupa a cadeira de general manager para Espanha e Portugal, o que o faz mudar de armas e bagagens da capital portuguesa para Madrid. No final de 2006 está de regresso a Lisboa, para assumir a atual posição. Pelo meio tornou-se “jedhi” da masterclass “Managing KLM in the Field”, um workshop interno direcionado para o pessoal da KLM (e mais tarde da Air France) interessado em (ou que possa vir a) tornar-se expatriado.
O executivo iniciou no entanto o percurso profissional em 1976, na Europeia Agência de Viagens e, passado um ano, transitou para a Capristanos Turismo como sales executive; dois anos depois entra para a Agência de Viagens Melia no cargo de incoming agente. Seguiu-se a KLM.
Licenciado em Línguas e Literatura Moderna pela Universidade Clássica de Lisboa, Fernando Bessa fez o programa Orchestrating Winning Performance do IMD Business School, bem como o curso Leading the Efective Sales Force, General Sales, Merchandising and Related Marketing Operations da Penn University Wharton/INSEAD.
É ainda conselheiro na CCILF - Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa, bem como presidente da CCILJ - Câmara de Comércio e Indústria Luso-Japonesa.