José Saraiva: “O grande desafio de Angola é a transparência”

Watch the video

José Saraiva: “O grande desafio de Angola é a transparência”
 

José Saraiva, diretor do SOL, em entrevista ao Portal da Liderança sobre a liderança política de Angola, diz-nos que esta "teve a sorte de encontrar um líder ponderado, sensato e com capacidade de controlar o poder" e que"o grande desafio de Angola nestes próximos tempos é a transparência". 

Portal da Liderança: Como vê a liderança política de Angola e quais os desafios de liderança que se lhe colocam no futuro?

José Saraiva: Ao nível político, Angola teve uma grande sorte de ter este Presidente da República. Claro que nós no ocidente criticamos pois Angola ainda não tem a democracia que deveria ter, ainda não tem a liberdade que deveria ter, ainda há muito protecionismo porque há muitos generais que estiveram na guerra e que hoje são de, alguma maneira, protegidos. Temos de perceber que, se isso é verdade, talvez não houvesse outra maneira de fazer esta passagem de um país que esteve numa guerra que provocou feridas profundíssimas mas que, apesar de tudo, ano após ano se vem consolidando, vem reforçando a sua posição como líder regional e vem, apesar de tudo, fazendo algumas conquistas no campo da democracia e nós conhecemos opositores ao regime que vivem em Luanda e conseguem viver, não são mortos e não são presos. 

Apresar de tudo, acho que Angola teve a sorte de encontrar um líder ponderado, sensato, com capacidade de ter as rédeas do poder na mão, e isso é essencial. Angola está a fazer uma transição em que não haveria outra maneira de fazer na minha opinião.

O grande desafio de Angola nestes próximos tempos é a transparência, ou seja, aquilo que durante muito tempo foi feito por baixo da mesa, passar a ser feito por cima porque isso é que pode fazer com que Angola ganhe credibilidade internacional. Angola, para dar o salto neste momento, precisa de confiança no exterior, confiança nos mercados, confiança por parte das grande potências, confiança nas relações com a Europa, e tudo isso consegue-se através da passagem de uma política opaca para uma política que terá de ser muito mais transparente no futuro próximo. Mas acho que os passos que têm sido dados até aqui são passos sólidos no sentido certo.

 


Antonio SaraivaJosé António Saraiva, arquiteto de formação, licenciou-se em 1973, pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Antes da conclusão do curso já se tinha iniciado como jornalista tendo, ao longo da sua carreira, integrado as redações dos jornais Comércio do Funchal, Diário de Lisboa, República, Opção, A Bola, A Luta, Portugal Hoje, Vida Mundial, Espaço T Magazine, Baluarte e Diário de Notícias. Em 1985 foi designado diretor do semanário Expresso, funções que ocupou até 2006. Em 2007 lançou o semanário Sol, de que é diretor. José António Saraiva é ainda professor convidado no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa. Em 2004 foi galardoado com o Prémio Luca de Tena de Jornalismo, atribuído pelo jornal espanhol ABC.