Alerta aos Líderes Empresariais: Sucesso versus Felicidade – Carlos Oliveira

Alerta aos Líderes Empresariais: Sucesso versus Felicidade – Carlos Oliveira

No competitivo mundo empresarial, há quem faça uma grande confusão entre sucesso e felicidade.

É impressionante constatar nas notícias, nas análises biográficas ou no relacionamento direto, que um grande número de pessoas que consideramos terem alcançado o sucesso empresarial, ou mesmo social, são bastante infelizes ou passam por momentos prolongados de grande infelicidade ou depressão, ou ainda, que geram grande infelicidade naqueles que lhes são mais próximos e que os rodeiam. Ou simplesmente, não estão satisfeitos com o seu dia-a-dia.

Seria de assumir que as pessoas de sucesso seriam mais felizes ou, pelo menos, não estariam tão expostas à infelicidade e à depressão. No fim de contas, são pessoas com capacidades que lhes permitiram alcançar um patamar que a maioria das outras pessoas não conseguiu.

Sucesso versus Felicidade

Muitos veem a felicidade como o resultado do sucesso, daquilo que se atingiu na vida. Nada de mais errado. Embora o sucesso possa contribuir para a felicidade, são coisas totalmente diversas. A felicidade é o que está lá, mesmo quando não há sucesso. O sucesso, por seu lado, não garante a felicidade.

O sucesso está ligado a definir objetivos, a atingi-los e a superá-los. A felicidade não. É antes um estado de espírito que tem a ver com os valores intrínsecos e pessoais de cada um.

Creio que uma grande parte da razão para o desfasamento recorrente entre sucesso empresarial e a felicidade pessoal está na dicotomia sociedade vs. pessoa.

A felicidade tem a ver com um modelo de referência interno a cada pessoa, que é muito complexo e varia muito de pessoa para pessoa, não sendo um conceito social (a não ser pela soma das felicidades individuais).

O sucesso tem a ver com um modelo de referência externo à pessoa, definido pela sociedade e que é independente de cada um. O sucesso é sempre em relação a algo, a uma competição, a uma superação, e que é validada pela sociedade.

É pois natural que aquilo que a pessoa valoriza para ser feliz, seja diferente daquilo que a sociedade valoriza para ter sucesso, empresarial ou não. Em alguns casos, a diferença é grande, noutras, é pequena.

O reconhecimento social é um contributo para a felicidade pessoal, mas é apenas um elemento que não deve subjugar todos os outros. A chave da felicidade está pois no equilíbrio entre os referenciais pessoais e sociais.

Alerta aos Líderes Empresariais

As pessoas extremamente competitivas, com caráter fraco, ou para quem o reconhecimento social ou de grupo é muito importante, são as que mais facilmente comprometem a sua felicidade por ilusões passageiras. No final de tudo, o que conta é o íntimo de cada um, com o qual temos de nos confrontar mais cedo ou mais tarde.

Os líderes empresariais têm duas faces. A imagem externa e a imagem interna (o autoconceito). A verdade externa e a verdade interna. Por força da elevada competitividade do mundo empresarial, a imagem externa tende a ser a mais cuidada e a receber mais atenção, criando desequilíbrios que se pagam caro mais tarde. Qualquer líder que descuide a sua verdade interna por subjugação ou distração com o sucesso social ou reconhecimento de grupo, decerto encontrará um momento de verdade mais cedo ou mais tarde, que pode não ser do seu agrado. As realizações por si só não geram felicidade. Só quando as realizações são associadas aos nossos valores intrínsecos é que o sucesso pode contribuir para a felicidade.

Algumas Frases Ilustrativas:


O Sucesso é mensurável. A Felicidade não tem limites.
O Sucesso é estar certo. A Felicidade é ser verdadeiro.
O Sucesso é ter aquilo que quis. Felicidade é não precisar daquilo.
O Sucesso é um evento, cuja validade passa. A Felicidade é um estado de espírito, que perdura.

 


CMO-PLCarlos Miguel Valleré Oliveira é CEO da Leadership Business Consulting, empresa internacional de consultoria de gestão presente em 8 países, África do Sul, Angola, Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos da América, Espanha, Moçambique e Portugal. Assina quinzenalmente a rubrica "Ponto de Vista" no Portal da Liderança sobre os temas da liderança-gestão, economia-sociedade e inovação-empreendedorismo. Mais informações aqui.