Um verdadeiro upgrade ao software do cérebro

Um verdadeiro upgrade ao software do cérebro

Uma experiência fantástica! – É o que posso dizer após ter participado na missão empresarial a Silicon Valley no âmbito do Global Strategic Innovation: International Executive Program. Um verdadeiro upgrade ao software do cérebro: o meu mindset de regresso é muito mais rico.

Marcelo Franco de Sousa

Na base de todas as diferenças visíveis penso que está a forma como eles utilizam a cognição, não necessariamente porque os americanos sejam mais inteligentes que os europeus, mas seguramente porque exploram as capacidades cognitivas de uma forma muito mais assertiva.

É obrigatório compreendermos a cultura deles, não para fazer o mesmo, mas para elevar os nossos padrões de competitividade.

Destaco três fatores que observei e considero serem centrais na cultura empresarial americana:

Velocidade               Foco               Compromisso

Na velocidade são como o tempo, nunca param, nem para almoçar, não desperdiçam tempo com coisas menores e não estão sempre a queixar-se.

No foco, a atenção dada ao mercado, nomeadamente a importância das vendas, é verdadeiramente impressionante: vendas, vendas e vendas.

No compromisso não está em causa não chegar à meta, falhar não é motivo para desistir nem para desanimar ou muito menos desqualificar, falhar é simplesmente uma etapa do processo, como na ciência.

A confiança nas pessoas, o acreditar nas ideias/projetos e a disponibilidade de investidores para o efeito são uma realidade totalmente distinta da nossa realidade bancária.

Para os investidores o atrativo determinante é ser um projeto que venha a resolver um problema que ainda não tem solução.

Para a valorização inicial do projeto o determinante é a taxa de crescimento do negócio/vendas.

É evidente que a escala que têm – em tudo, é um acelerador determinante.

Ninguém tem lugares garantidos, não existem os mesmos vínculos contratuais a nível laboral, apenas as competências distintivas criam vínculos.

É evidente que existem outros fatores, ou valores, como a não aversão ao risco, onde o interesse e a curiosidade estão claramente à frente do medo, do desconhecido ou do receio de falhar.

Destaque também para uma visão de longo prazo, onde a importância dos projetos ligados à inteligência artificial e ao desenvolvimento tecnológico, ou seja, a procura pela sustentabilidade no futuro, está sempre presente.

E, transversal a tudo isto, há uma coisa fantástica, a informalidade! Em tudo: no trato, no acesso, no estar, no fazer… parecendo que não, elimina muitas barreiras.

Parabéns à organização do programa!

14-12-2018


MarceloFrancodeSousa SmallMarcelo Franco de Sousa, diretor-geral da Matcerâmica.