Junho é “mês de Portugal” em Macau

Junho é “mês de Portugal” em Macau

As comemorações do 10 de junho em Macau vão prolongar-se por várias semanas. O objetivo é fazer de junho “o mês de Portugal” no território a partir deste ano.

De acordo com o cônsul português, Vítor Sereno, citado pela agência Lusa, o consulado-geral de Portugal em Macau e Hong Kong e algumas entidades de matriz portuguesa no território apresentarão em breve ao Governo local a ideia da adoção do conceito de “junho – mês de Portugal” nesta região da China com administração especial.

A ideia é fazer de junho “um momento de mobilização efetiva” e conjunta de “vários agentes culturais, económicos e institucionais em torno da promoção de Portugal” em Macau “e das estreitíssimas relações de amizade” que unem Portugal ao território, afirmou o cônsul.

Vítor Sereno defendeu que este será um contributo “de matriz portuguesa para a afirmação de Macau como centro irradiador de cultura” e “de criação artística” e que “está em plena consonância” com alguns objetivos estratégicos definidos pelas autoridades locais, como o da diversificação da economia. “Queremos ajudar a essa diversificação”, sublinhou, dizendo que o conceito de “junho – mês de Portugal” pode ser, por exemplo, “mais um chamariz” para visitantes de Macau.

Para as comemorações do Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades deste ano em Macau, de 1 a 30 de junho, juntaram-se ao Consulado de Portugal a Casa de Portugal em Macau, o Instituto Português do Oriente (IPOR), a Fundação Oriente, o Clube Militar e a Livraria Portuguesa de Macau.

As atividades arrancam no dia 1 de junho com a inauguração de uma exposição de pintura de Graça Morais no Clube Militar de Macau, com o título “Trás-os-Montes, terra mágica”. Ao longo do mês haverá mais três exposições: uma de cerâmica (no Consulado), outra de tapetes de Arraiolos (na residência consular), e uma de Natália Gromicho, na Fundação Oriente, onde a artista manterá uma residência artística e um ateliê aberto.

Entre as atividades que se sucederão ao longo do mês há ainda um concerto dos The Gift (no dia 2), um festival de gastronomia e vinhos de Portugal (no Clube Militar, de 3 a 13), uma “mostra do livro português” na Livraria Portuguesa, uma mostra de cinema português (de 11 a 13), a peça de teatro “Meu jantar com André” (dia 19, no teatro S. Pedro V) ou a abertura do café do IPOR, durante a madrugada, para a transmissão em direto dos jogos da seleção portuguesa no europeu de futebol.

No dia 10 de junho decorrerão as cerimónias institucionais habituais, que incluem o içar da bandeira portuguesa no Consulado e a deposição de flores na gruta de Camões. Pelo segundo ano consecutivo, a banda da PSP de Macau tocará o hino português na cerimónia do içar da bandeira.

12-05-2016


Portal da Liderança