Mulheres adiam cada vez mais a reforma

Mulheres adiam cada vez mais a reforma

Os trabalhadores mais velhos estão a reformar-se cada vez mais tarde. E as mulheres, de acordo com um estudo recente, estão a contribuir em grande parte para esta tendência, noticia a Bloomberg.

Nos EUA há mais mulheres a trabalhar numa altura em que as mães e avós, com a mesma idade, já estavam há muito reformadas. Economistas e académicos estão tentar perceber o motivo, e a pesquisa realizada por dois professores de economia da Universidade de Harvard sugere que esta é uma tendência que vai continuar e até pode acelerar.

Uma das principais razões para se trabalhar na considerada terceira idade é a formação: nos EUA, as mulheres e os homens com educação superior são muito mais propensos a trabalhar aos 60 e 70 anos que os menos instruídos, e o número de universitários está em ascensão.

Há ainda o afluxo de mulheres para o mercado de trabalho durante as décadas de 1970 e 1980, o que significa que essas mulheres, agora mais velhas, têm competências, estabeleceram ligações/conhecimentos e carreiras que podem prosseguir. À medida que atingem os 70 anos, não só trabalham como o fazem a tempo integral. Quase metade das mulheres com 60 e muitos anos está a trabalhar a tempo inteiro, por comparação com os cerca de 30% há 20 anos, indica o estudo.

Outro motivo para trabalharem até tão tarde na vida prende-se com o facto de terem contraído grandes empréstimos bancários, o que faz com que precisem de dinheiro para pagar as dívidas.

Fonte: Bloomberg

15-09-2016


Portal da Liderança